LOGIN
ASSOCIE-SE!
Apoie nossa missão e colabore para que possamos perseverar como instituição autossustentável.

NÚCLEOS

Núcleo Arqueologia

Coordenador:

Dra. Lilian de Angelo Laky - Ph.D. em Arquelogia, Posdoc em História Antiga, Universidade de São Paulo / https://usp-br.academia.edu/LiliandeAngeloLaky


O Núcleo de Arqueologia da Areté é composto por arqueólogos e historiadores especializados em Grécia, tendo por objetivo a divulgação em alto nível da arqueologia da Grécia. Nossas atividades contemplam todos os aspectos da cultura material dos antigos gregos: ruínas de cidades e santuários, moedas, cerâmica, espaços funerários, objetos técnicos etc. Embora foquemos nossas atividades na arqueologia do chamado "mundo grego antigo", que abrange a área geográfica do Estado grego de hoje e outras regiões em que gregos estabeleceram cidades (principalmente Mediterrâneo e Mar Negro), nós do Núcleo de Arqueologia também estamos abertos ao diálogo com quem estuda a arqueologia grega de períodos posteriores, por exemplo, das épocas bizantina e otomana.
 
O Núcleo de Arqueologia tem oferecido cursos e palestras de especialistas sobre vários temas, como estudo dos vasos gregos, dos santuários e religião grega antiga e dos espaços e ritos funerários gregos.

GRUPOS DE ESTUDO

Palestra

OS GREGOS NO MAR NEGRO – PERSPECTIVAS ARQUEOLÓGICAS

Palestrante Juliane Granusso de Campos

26 OUTUBRO 2020     SEGUNDA        19:00 às 21:00h           ONLINE

 

MINISTRANTE

- Juliane Granusso de Campos. Mestranda em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da USP, onde desenvolve pesquisa com o apoio Fapesp em numismática grega antiga das pólis de Sínope e Mileto.

 

A palestra visa apresentar a arqueologia no Mar Negro e seu desenvolvimento nos últimos anos do ponto de vista dos estudos helênicos, e do estabelecimento de apoikias e empórios na região. Com o fim da União Soviética, pesquisadores têm cada vez mais contribuido para os estudos de história e arqueologia do Mar Negro, trazendo novos debates acerca da colonização grega.

 

Cursos oferecidos e colaboradores do Núcleo:

 

(1) Cerâmica Grega Antiga: Teoria e Prática

CURSO ON LINE - OUTUBRO 2020
 



Ministrantes:
Dra. Juliana Figueira da Hora, Laboratório de Estudos sobre a Cidade Antiga (LABECA/MAE-USP)
e Natasha Weissenborn  (ceramista e designer, criadora do Ateliê Capotinhos)


Este curso tem como objetivo apresentar de maneira teórica e prática a cerâmica grega antiga, com ênfase na cerâmica pintada de Figuras Vermelhas e Figuras Negras de período arcaico e clássico. Ao todo, serão quatro encontros, divididos em dois módulos. Nas duas primeiras aulas, faremos uma introdução geral sobre a cerâmica grega antiga, suas formas, contextos de achado arqueológico, estilo e técnicas. Apresentaremos as técnicas de produção, cronologia, as principais formas de vaso, estilo e decoração da cerâmica pintada em Figuras Negras e Vermelhas. Nas últimas duas aulas, os alunos serão convidados a arregaçar as mangas e explorar as possibilidades e os limites da argila com base nas técnicas de modelagem manual. Nos inspiraremos nos formatos de um esquifo e de um anforiskos, e nos deteremos no estilo e técnica de Figuras Negras. Os kits práticos possibilitarão ao aluno a oportunidade de moldar vasos gregos, vivenciando as técnicas e os estilos gregos antigos. As peças produzidas em aula serão posteriormente queimadas e disponibilizadas para que os alunos possam retirá-las um mês após o término do curso. Não é necessário ter experiência prévia em cerâmica.
 
 

(2)A cerâmica grega antiga, religião e arqueologia: contextos votivos e usos específicos do vaso como oferenda votiva no espaço feminino.

SETEMBRO 2019
 

 
Ministrante:
Dra. Juliana Figueira da Hora
Laboratório de Estudos sobre a Cidade Antiga (LABECA/MAE-USP)
 
Este curso tem como objetivo apresentar a cerâmica a partir dos contextos arqueológicos, mais especificamente santuários no período arcaico. É possível observar o comportamento de determinados objetos e a relação com a sociedade a que ele pertenceu. Nos 4 encontros que teremos, aprofundaremos o conceito de pólis e religião no período arcaico a partir de estudos de caso comparativos: Atenas (Ática), Corinto (Peloponeso), Norte do Egeu (Tasos) e nas Cíclades (Paros). A partir da discussão e das relações específicas existentes entre a sociedade e a religião, partiremos para a cerâmica e os seus usos no período arcaico no Mediterrâneo, sua transformação em documento, a trajetória de estudos desde o colecionismo até os estudos arqueológicos até nos depararmos com o contexto votivo, o contexto de culto e os seus usos nos santuários mais importantes do período arcaico grego: o Santuário de Ártemis e o Santuário de Deméter.
Para além destas questões, discutiremos a relação do apotropaico, a iconografia especificamente de proteção, as formas de vaso mais comumente encontradas em determinados santuários. A partir destas relações mostraremos como os arqueólogos possuem condições de chegar às relações  que trouxeram elementos que permitem interpretar o multiculturalismo imbricado aos objetos, o mimetismo e as inovações na decoração da cerâmica figurada em período arcaico, além da demanda em termos quantitativos de determinados vasos que se mostraram carregados de informações  e significados de culto. A partir das características que nos revelaram práticas certamente votivas, desveladas pela sua maneira de exposição, pelos traços decorativos, nos deteremos em 4 estudos de caso, localizados em regiões importantes da Grécia arcaica, a Ática, o Peloponeso, o Egeu do Norte e as Cíclades no sul do Egeu. Estes locais possuem um histórico de conexão e de redes importantes de trocas comerciais, culturais, bastante visíveis na cerâmica pintada de época arcaica. Vamos observar que há uma relação intrínseca ligada às diversas fases de Ártemis e de Deméter, aos ritos de passagem e à proteção da mulher no parto. 
 
 

(3) A Arqueologia da Morte na Grécia Antiga: memória e identidade

NOVEMBRO 2019
 

 
Ministrante:
Profa. Dra. Camila Diogo de Souza
TAPHOS (Grupo de Pesquisa em Práticas Mortuárias no Mediterrâneo Antigo) – CNPq
 
Grande parte da produção de conhecimento das sociedades antigas se deve à Arqueologia da Morte, vale dizer, aos estudos dos vestígios arqueológicos provenientes dos contextos funerários. Morrer constitui uma das formas de expressão cultural, ritual e simbólica pelas quais as póleis na Grécia Antiga, se reconhecem e identificam enquanto uma unidade sociocultural com elementos comuns e característicos. Somada aos aspectos religiosos, como a mitologia, aos aspectos políticos e linguísticos, a materialização da morte por meio da execução de rituais fúnebres, assume um papel fundamental na imortalidade da memória dos mortos e na construção de identidades na sociedade dos vivos.
O minicurso Arqueologia da Morte na Grécia Antiga: memória e identidade tem como objetivo geral discutir as funções da cultura material de natureza funerária na construção de memórias e identidades na sociedade grega antiga.

 

(4) Introdução à Arqueologia dos cultos de Mistério na Antiguidade

OUTUBRO 2019
 


Ministrante: Me. Felipe Perissato
Laboratório de Estudos sobre a Cidade Antiga (LABECA/MAE-USP)

Os cultos antigos de Mistério foram um tipo de manifestação religiosa de muita popularidade durante a Antiguidade, responsável pela atração de peregrinos provenientes de diversas regiões do Mediterrâneo para seus locais de culto. Em geral, foram formas de culto bastante diversificadas, em que há uma composição tanto de elementos provenientes das tradições locais quanto da diversidade decorrente de suas interações sociais. A popularidade dos cultos de Mistério pode ser explicada por uma característica que é comum a todas estas manifestações religiosas. Tratam-se de cultos que têm como enfoque a celebração dos ciclos da vida e da fertilidade, articulados por meio deste binômio vida e morte, cuja principal forma de participação se dava por meio das iniciações. Assim, este curso tem como objetivo discutir as principais interpretações sobre os cultos de Mistério na Antiguidade, partindo das interpretações iniciais centradas nas fontes textuais até a mais recente contribuição das questões trabalhadas pela Arqueologia. No primeiro encontro serão abordados aspectos teórico-metodológicos sobre o estudo da religião antiga de Mistérios, apresentando as principais questões trabalhadas pela extensa bibliografia. Os encontros seguintes serão dedicados à exposição de três estudos de caso: os Mistérios Eleusinos e o santuário de Deméter e Core em Elêusis (dos séc. VII a.C. - II d.C.), o santuário dos Grandes Deuses e os Mistérios da Samotrácia (V a.C. - I d.C.), e, por fim, a expansão dos cultos de Ísis e de Mitra pelo Mediterrâneo durante a Antiguidade Tardia (II - IV d.C.). O objetivo do curso é analisar os três estudos de caso a partir dos mais recentes dados arqueológicos (com ênfase na topografia), tendo como base os pressupostos teórico-metodológicos apresentados no primeiro encontro.


 

CONVERSAS HELÊNICAS


Com Rodrigo Araújo de Lima,

Juliana Figueira da Hora e

 Lilian de Angelo Laky 

 

"Os confins do mundo conhecido: contatos culturais de gregos e fenícios nas Colunas de Hércules"

Doutorando Rodrigo Araújo de Lima 

Doutorando e Mestre em arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) - USP.

 

"Os trácios e os gregos no norte da Grécia"

Dra. Juliana Figueira da Hora

Pós-doutoranda, doutorado e mestrado em arqueologia clássica pelo MAE - USP.

 

"Os gregos antigos na Croácia"

Dra. Lilian de Angelo Laky

Doutorado e mestrado em Arqueologia Clássica MAE-USP, pesquisadora no LABECA-MAE/USP e LEIR-MA/FFLCH-USP.

 

31 AGOSTO  Sábado  2019

16h às 18h

Entrada R$20,00

reserve sua vaga!


 

A Restauração da Acrópole

com Vassiliki Eleftheriou

 

A Areté - com o apoio do Consulado Geral da Grécia em parceria com o SESC e o Museu do Imaginário -  convida para a palestra da diretora do Serviço de Restauração da Acrópole, Vassiliki Eleftheriou, no próximo dia 27 de junho, às 20h. 

A palestrante falará sobre esse importante patrimônio grego e mundial, abordando aspectos culturais e de preservação.

Vassiliki Eleftheriou é Arquiteta, engenheira, diretora do Serviço de Restauração da Acrópole (ΥΣΜΑ) do Ministério da Cultura e Esportes da República Helênica e mestre em Proteção de Monumentos pela Escola de Arquitetura da Universidade Técnica Nacional de Atenas, Grécia.

 

27 Junho  2019

20:00 h 

PALESTRA EM GREGO COM TRADUÇÃO CONSECUTIVA


 

CURSOS
DIONISO E O TEATRO GREGO ANTIGO: SUAS EVIDÊNCIAS ARQUEOLÓGICAS
Professor Ms. João Estevam de Argos
Serão 4 aulas às sextas-feiras O curso tem por objetivo, de forma simples e didática, se ater aos aspectos físicos e materiais do teatro grego antigo e demonstrá-los como expressão material de Dioniso.  Apresentaremos a contribuição da arqueologia para entender um dos elementos constitutivos da pólis no transcurso de seu processo...

Copyright © 2011 - All Rights Reserved - Areté - Centro de Estudos Helênicos

Rua dos Macunis, 495 - Vila Madalena - São Paulo - SP - Brasil 05444-001

Tel: (11) 3032-3939 (Segunda a Sexta das 13:30h às 20:30h e Sábado das 09:00h às 14:00h)

E-mail: secretaria@arete.org.br | Whatsapp (11) 97113-0660