HISTÓRICO

HISTÓRIA

Um pequeno grupo de pessoas, que compunha desde 2004 o Centro Kaváfis de Cultura Helênica, organizou a adesão de aproximadamente 60 pessoas, em sua maioria descendentes de gregos, para o projeto de construção de uma entidade para o estudo e divulgação da cultura helênica em São Paulo.

Em 28 de maio de 2011 constituiu-se em assembleia de membros fundadores a Areté - Centro de Estudos Helênicos. Desde 28 de maio de 2011 o "Centro Kaváfis de Cultura Helênica" passou a integrar a Areté – Centro de Estudos Helênicos. Ao longo de seus mais de 6 anos de atividades foram cultivadas sementes que contribuíram para a formação da Areté.

MEMÓRIA

O "Centro Kaváfis de Cultura Helênica" foi inaugurado em 20 de novembro de 2004 e tinha como objetivo ser uma entidade civil autônoma - de caráter cultural, sem fins lucrativos – e promover o estudo e a divulgação das diversas formas de expressão da cultura helênica no Brasil e o intercâmbio cultural entre o nome "Kaváfis" foi escolhido pelo grupo fundador para homenagear um Kaváfis, pela sua dimensão poética, força e simbolismo.

Foi seu poema "Ítaca", que inspirou nossa viagem até aqui.

O logo foi criado pela designer Iryni Kafiris, em 2005.

O COMEÇO

Durante anos se discutiu, no âmbito da comunidade grega de São Paulo, a necessidade da formação de um centro para divulgar a cultura helênica. Em 2003, Stylianos Tsirakis, membro então do Conselho Deliberativo da Coletividade Helênica de São Paulo, convidou algumas pessoas, que já vinham estudando a viabilização de um centro cultural, para participar da elaboração de uma proposta, a ser apresentada à Coletividade.

Criou-se assim uma comissão inicial composta por Aspasia Papazanakis, Constança Marcondes Cesar, Dimitrios Anagnostópoulos, Leônidas Papazanakis, Luiz Alberto Machado Cabral, Luiz Eduardo Ramos de Oliveira, Marina Zarvos Ramos de Oliveira, Paulo Panayotis, Takis Cordás, Viktor Sallis e Vassiliki T. Constantinidou, além do próprio Stylianos.

No final de 2003 a comissão encaminhou à Coletividade o projeto de um centro cultural e a proposta de transformação do imóvel existente na Alameda Gabriel Monteiro da Silva num espaço de convivência, na qual se instalaria o Centro de Cultura Helênica. O Conselho Deliberativo não fez objeções ao projeto, mas não endossou o uso do espaço proposto.
Após inúmeras reuniões da comissão para viabilizar o projeto, Stylianos Tsirakis, diretor da Editora Odysseus, decidiu então ceder provisoriamente um espaço, no imóvel da editora, para a instalação do centro cultural.

Os Fundadores (2004)

  • Aspasia Papazanakis - psicóloga, professora da Faculdade São Marcos, na época. Atualmente leciona na UNIP.
  • Constança Marcondes César – professora de filosofia da PUC Campinas, na época. Atualmente é professora na Filosofia da Universidade Federal de Sergipe.
  • Dimítrios Anagnostópoulos – professor da cadeira de grego moderno na USP e professor de turmas especiais no Instituto Educacional Ateniense, na época. Hoje é professor em Atenas, Grécia.
  • Isis Borges B. da Fonseca - Professora e fundadora da cadeira de grego na USP.
  • Leônidas Papazanakis – engenheiro.
  • Luiz Alberto Machado Cabral – professor de grego antigo, tradutor, professor de grego moderno de turmas especiais no Instituto Educacional Ateniense, na época.
  • Luiz Eduardo R. de Oliveira – economista e filósofo.
  • Marina Zarvos R. de Oliveira – psicóloga.
  • Paulo Panayoti – jornalista.
  • Stylianos Tsirakis – arquiteto, diretor da Editora Odysseus, membro do Conselho Deliberativo da Coletividade Helênica, na época.
  • Tákis Cordás – psiquiatra, estudioso da história grega.
  • Vassiliki T. Constantinidou – jornalista, coordenadora do projeto "Imigrantes Gregos no Brasil", na época.
  • Viktor Sallis – psicanalista e especialista em mitologia.

Às vésperas da inauguração, Danilo Nikolaides foi convidado a integrar a comissão fundadora, Monique Bouffis (em 2005), Helena Sazalis, (em 2006) e Vera Couto (em 2009)

No primeiro biênio (2004/2006), a coordenação do Centro Kaváfis de Cultura Helênica foi de Stylianos Tsirakis; Vassiliki Thomas Constantinidou (2006/2008); e Paulo Panayotis (2008/2010).

Eventos & Atividades

Em mais de seis anos de existência, o Centro Kaváfis promoveu inúmeras atividades e cursos regulares, abrangendo as diversas formas de expressão da cultura helênica.
  • Cursos de Idiomas
  • Os cursos de grego moderno para adultos tiveram início em 2005, com o apoio dos professores Dimitris Anagnostópoulos e Luis Alberto Machado Cabral. Em 2006, o professor Vladimir Baptista passou a integrar o Centro Kaváfis e estruturou o curso, que funcionou até 2011. Ainda em 2006, o Professor Dimitris passou a lecionar o curso de Idioma e Cultura Grega.

    Foi estruturado também o Curso de Grego para crianças, pela professora Maria Ouzoum, que lecionou por dois anos no Centro Kaváfis (2005/2006). Em 2010 ela retornou à Grécia.

  • Cursos de Danças
  • O curso de danças tradicionais e populares gregas começou em 2005 e foi estruturado pela professora Jovana Constantinidou. Além das aulas regulares, participou de apresentações com as alunas, em eventos da Coletividade (Festa em Lins); da Universidade Anhembi–Morumbi com o Grupo Mutrib; e outros. Em 2009, por razões de saúde pediu afastamento e assumiu em seu lugar Paulo Sertek, que passou a coordenar o curso de dança. Durante esse período, várias oficinas e aulas abertas foram realizadas.

    O "Encontro com a Dança Grega", coordenado pelos professores Paulo e Selma Sertek, aconteceu em 21/3/2009, com a participação de onze jovens dos "Círculos de Leitura" do Instituto Fernand Braudel, que haviam estudado o livro "Zorba", de Nikos Kazantzákis.

    Já o workshop de dança com a professora Sofia Papadimitriou, estudante na Universidade de Thessalônica, foi realizado em julho/agosto- 2010.

  • Filosofia
  • Diversas palestras foram realizadas na série "Conversas Helênicas", voltadas para a área da filosofia e reflexão. Entre elas:

    • Novembro de 2003 - tema "Em busca da identidade", com o apoio da Clínica Higea, onde foi realizado o evento. Participaram cincopalestrantes: Viktor D. Salis, Táki Athanássios Cordás, Aspasia Papazanakis, Marina Zarvos Ramos de Oliveira e Paulo Panayotis.

    • Julho de 2004 - o filósofo Evanghelos Moutsopoulos>, realizou a palestra "A celebração da Vida – A filosofia neo-helênica e sua atualidade".

    • Julho de2005 – palestra "Em busca da Identidade" com o professor Theóphilos Rifiotis, da Universidade Federal de Santa Catarina.

    • Abril de 2007 – Constança Marcondes Cesar, professora de Filosofia da PUC Campinas, apresentou o tema "Alexandria - a cidade de Alexandre e seu esplendor científico-filosófico; os precursores da Escola de Alexandria e o diálogo Oriente-Ocidente".

    • Agosto de 2007 – Palestra de filosofia com a professora Constança Marcondes Cesar. Tema: "Os pré-socráticos".

    • 15 de Setembro – Profª Constança Marcondes Cesar apresentou o tema "O milagre grego".

    • 27 de Outubro – Profª Vânia Dutra apresentou o tema "Nietzsche e os gregos"

    • 10 de Novembro – Profª Constança, realizou a palestra "A retomada da tradição".

  • Mitologia
  • • Fevereiro de 2007 – Curso de Mitologia Grega com a psicoterapeuta Vera Couto, de orientação junguiana, coordenadora de grupos de estudos em Mitologia Grega e consultora da revista "Bons Fluídos" sobre o tema.

    • Agosto de 2009 – palestra "Êxtase e Entusiasmo: Dionísio e as fronteiras do eu", com Cristina Rodrigues Franciscato.

    • Agosto à Novembro de 2009 - Oficina de Contadores de História voltada para contos e mitologia grega - com Clarice Schcolnic.

    • Em 2009 – "Dançando com as Deusas" – com Vera Couto e Marina Zarvos Ramos de Oliveira.

    • Julho de 2010 – Café Mitológico – "Os deuses que nos habitam" - realizado no espaço "Obra de Arte" , com Vera Couto.

  • Cinema e Debate
  • • 19/3/2005 – a apresentação do filme "Rebétiko" deu início ao ciclo de "Cinema & Debate", tendo como palestrante Takis Cordás.

    Apresentação do filme "Zorba" – debatedora Aspasia Papazanakis

    • 19/9/2006 – "O Tempero da Vida" – palestrantes Aspasia Papazanakis e Takis Cordás.

    • 23/2/2008 – "I Nífes" – debate com Táki Cordás e Vera Couto

    • 04/4/2009 – Apresentação do filme "Nunca aos Domingos" – debate com Aspasia Papazanákis

    • 16/5/2009 – "O Tempero da Vida" – debate com Stylianos Tsirakis.

  • História
  • • Agosto de 2005 – O ciclo de palestras "Grécia Hoje - Um roteiro pela língua e cultura grega", foi idealizado pelo professor Kriton Iliopoulos para tradutores e interessados em aprofundar o conhecimento da língua grega, passando por áreas como Política, Economia, Educação, Saúde, Informática, Direito. O curso foi ministrado em língua grega e teve duração de 10 semanas.

    • Agosto de 2006 – Curso "História da Grécia Moderna" com Kriton Iliopoulos.

    • Agosto de 2007 – Curso em idioma grego "História da Língua Neo-Helênica" com Kriton Iliopoulos.

    Programação:

    • 6 de agosto – Palestra aberta a todos os interessados.

    • 13 de agosto – A língua grega no final da Antiguidade, Bizâncio e Império Otomano.

    • 20 de agosto – Os novos helenistas

    • 27 de agosto – A língua do novo país

    • 3 de setembro – Diglossia - língua popular x língua erudita (Δημοτική x Καθαρεύουσα)

    • Agosto de 2007 – Curso de História sobre a Grécia Moderna "A formação e consolidação da nação grega atual", com Kriton Iliopoulos (em português).

    Programação:

    • Agosto (dias 8, 15, 22 e 29) – Império Otomano e os povos balcânicos

    • Setembro (dias 5, 12, 19 e 26) – A Grécia do século XIX

    • Outubro (3, 10, 17, 24, 31) – O século das guerras (1911 -1974).

    • Agosto a Novembro/2009 – Ciclo de Palestras - Da Grécia Antiga à Grécia Moderna - Um panorama da língua e religião na trajetória histórica, por Kriton Iliopoulos. O objetivo dos encontros foi refletir sobre mitos fundadores, crenças e a diversidade dos caminhos de investigação histórica, enfocando o papel da língua e da religião ortodoxa na construção da consciência nacional grega moderna.

    Programação:

    • 31/8 – Definições, discussões e métodos de pesquisa. Sobre o conceito de nação, a língua como identidade, estado - nação, política e história, teorias, pensamento atual, cultura e civilização.

    • 14/9 – Grécia Antiga - A fala e a escrita na Grécia Antiga, dialetos, idéias e transformações, evolução de conceitos e distorções no pensamento atual sobre a Grécia Antiga, projeções do presente no passado, os gregos pelo mundo.

    • 21/9 – Impérios Romano, Bizantino e Otomano - Evolução da língua grega nas diversas etapas históricas, período helenístico, bizantino e otomano. O Grego e o Latim.

    • 28/9 – A formação da Nação – Séc. XVIII, XIX e atualmente. A formação da língua nacional e a diglossia. Como evoluiu o conceito da língua e a prática do idioma, nesse período até os nossos dias.

    • 5/10 – Religiosidade, religiões e identidade coletiva. Os gregos antigos e a religião. Cristãos versus Gregos. Papel da religião nas sociedades bizantina e otomana. A igreja ortodoxa, princípios, elementos da sua história e seu papel na formação do estado nacional moderno.

    • 19/10 – Considerações finais. A situação atual nas relações entre Igreja e Estado, língua e nação, religião e política, nacionalismo linguístico, religioso ou laico.

    • 24/8/2009 – Palestra "Rebétiko – Um panorama histórico do movimento musical", com Domingos Kiriakos Stavridis.

    • 12/09 – Encontros "Memória & História - A História da Grécia através da Fotografia", com Kriton Iliopoulos e "Gregos no Brasil – Memória, Identidade e História Falada", com Vassiliki T. Constantinidou.

    • Dezembro - Exposição de fotos "Nossas Mulheres de Atenas", em Sorocaba.

    • 19/3/2005 – a apresentação do filme "Rebétiko" deu início ao ciclo de "Cinema & Debate", tendo como palestrante Takis Cordás.

    • Apresentação do filme "Zorba" – debatedora Aspasia Papazanakis

    • 19/9/2006 – "O Tempero da Vida" – palestrantes Aspasia Papazanakis e Takis Cordás.

    • 23/2/2008 – "I Nífes" – debate com Táki Cordás e Vera Couto

    • 04/4/2009 – Apresentação do filme "Nunca aos Domingos" – debate com Aspasia Papazanákis

    • 16/5/2009 – "O Tempero da Vida" – debate com Stylianos Tsirakis.

  • Lançamento de Livros
  • • 2/8/2006 Parceria com Editora Odysseus - Lançamento do livro "Kaváfis", (tradução e análise profª Ísis Borges B. da Fonseca).

    • 27/04/2007 Lançamento do livro "Alexandria - a cidade do pensamento ocidental", de Theodore Vrettos, editado pela Odysseus.

  • Eventos
  • • Novembro/2005 – Comemoração de 1 ano de atividades

    • 05/08/2006 – "Rebétika, Mezé & Cia", palestra com Takis Cordás

    • 20/11/2006 – Comemoração de 2 anos

    Saudação - Oferenda aos Deuses Hino à Héstia;

    Teogonia 1º Capítulo;

    Voo sobre a poesia grega moderna: Elytis, Seféris, Kaváfis, Ritsos, Várnalis

    "Misirlou - a história de uma música", com Takis Cordás e solo de bouzouki com Yannis Kyriópoulos.

    • 2008 – Sarau Maria Callas com apoio do Consulado e Clube Altos de Pinheiros

    • 6/5/2008 – Palestra do Takis Cordás – apresentação do livro "Matsá com Mussaká"

    • 8/6 /2008 – "Rebétika II" – com Takis Cordás

    • 23/2/2008 – Exposição "As Noivas"

    • 23/5/2009 – "Diálogo com o azeite e suas origens" com Monique Bouffis

    • 5/12/2009 – Comemoração dos 5 anos

    Roda de Dança

    Jovens "Círculo de Leitura" falam sobra a obra de Nikos Kazantzákis

    Contadores de História

    • 15/5/2010 - Palestra "A Grécia e os Desafios Europeus" com o economista Francisco Petros.

  • Parceria com a Sociedade Internacional dos Amigos de Nikos Kazantzákis
  • • 9/4/2005 – "Encontro com Nikos Kazantzákis", com a profª Ísis B.B. da Fonseca, profº Dimitris Anagnostopoulos e Iphigenia.

    • 25/11/2006 – "Encontro com Nikos Kazantzákis" – Comentários sobre as obras "Irmãos Inimigos" e "Symposium".

    • 2008 – "Do nóstos à marcha: Reflexões sobre a Odisseia de Kazantzákis" – com a profª Carolina Donega Bernardes (Ribeirão Preto).

    • 27/6/2009 – Apresentação da ópera de Bohuslav, "Cristo Recrucificado", comentário de Tereza Jardim.

  • Parceria com a Coletividade
  • • 2006 – Comissão para o retorno dos Mármores do Parthenon.

    • Março 2007 – Exposição "Nossas Mulheres de Atenas", no Conjunto Nacional.

    • 18/8/2007 – Sessão de Cinema & Debate - Apresentação do filme "300", no Salão da Coletividade Helênica de São Paulo, com a participação da professora da USP Ivonete de Souza Rabello e do engenheiro Konstantino Stavropoulos.

    • 7 e 8 de setembro de 2007 – "Sons e Sabores da Grécia", na "Igreja dos gregos" em Lins.

    • 28/6/2008 – Exposição "As Noivas" no Salão da Coletividade.

    • 6/3/2011 – Exposição "Nossas Mulheres de Atenas", no Salão da Coletividade.

Sobre "Rebétika"

Por Tákis Cordás

O rebétiko ou jazz grego, como é comparado por alguns autores, é uma forma musical que toma corpo no fim do século XIX e início do século XX. Herdeiro de tradições bizantinas, o movimento incorpora a música dolorosa das prisões gregas e as influências orientais dos refugiados gregos, vindos da Ásia Menor em 1922. É a música dos pobres, dos desvalidos, dos marginais, dos sem-terra, dos famintos, dos drogados, dos que sofrem por amor.

Durante muitas décadas, representou mais do que uma forma musical. Transformou-se em um meio de protestar e sobreviver às adversidades. Esse universo tão particular foi denominado por Jacques Lacarrière, num dos seus livros, como "A Grécia da sombra". Foi Manos Hadzidákis, um grande compositor grego, que chamou a atenção para a importância do rebétiko, classificando-o como "uma das mais vivas e preciosas fontes da cultura musical da Grécia moderna", no início da década de 50.

Redescobertos seus autores, regravadas suas músicas pelas novas gerações, o movimento musical voltou, nas últimas duas décadas, a se tornar motivo de interesse popular apaixonado e assunto acadêmico não apenas na Grécia, mas em toda a Europa e nos EUA. Nossa apresentação visa introduzir uma breve história do rebétiko, através de suas músicas e situá-lo no contexto histórico grego do século XX.

Sobre "Evanghelos Moutsopoulos e a filosofia neo-helênica"

Por Constança Marcondes Cesar

O pensamento neo-helênico encontra na obra de E. Moutsopoulos uma das mais importantes expressões, dada à amplitude, profundidade e originalidade da reflexão que desenvolve", segunda profª de filosofia Constança Marcondes César, da PUC – Campinas. Um dos campos privilegiados nos quais se desenvolve a meditação do filósofo - com várias obras publicadas originalmente em grego e em francês, traduzidas em diversas línguas – é sobre a cultura. A filosofia da cultura grega é, na sua obra, um esforço de compreensão desta cultura e da atualidade de sua herança, enquanto processo de reestruturação contínua e reformulação de sistemas de valores.

"Celebração da vida, da beleza, da liberdade, o pensamento grego desde sua mais antiga tradição (...) é a afirmação sempre renovada, do valor do homem e de seu destino de universalidade e transcendência", afirma a profª Constança. Compreender essa herança e a permanência desses valores é o objetivo dos estudos - sobre a história da filosofia e a filosofia da história - desenvolvidos pelo filósofo, nascido em Atenas, em 1930.

Um dos mais significativos pensadores gregos da atualidade, Moutsopoulos foi reitor da Universidade de Atenas, é também músico e pintor, membro da Academia Internacional da Filosofia da Arte, da Sociedade Francesa de Musicologia, da União de Compositores Gregos.

Copyright © 2011 - All Rights Reserved - Areté - Centro de Estudos Helênicos
Rua dos Macunis, 495 São Paulo - SP - Brasil 05444-001
Tel: (11) 3032-3939 | E-mail: secretaria@arete.org.br